Evento para discutir o papel do legislador na Faculdade de Direito da UFMG é sucesso de público, qualidade e aprofundamento teórico

"Que tipo de legisladores queremos?", organizado pelo Observatório para a Qualidade da Lei, foi um espaço para o aprofundamento da discussão do papel dos legisladores brasileiros em uma sociedade cada vez mais cindida e violenta, em que vivenciamos um saudável exercício de "Democracia Radical", isso mesmo, um debate no qual o técnico e as várias cores do político se encontraram para lembrar que o espaço do LEGISLATIVO, do PARLAMENTO é o espaço de todas e todos.

A execução de uma parlamentar, Marielle traz à tona um fenômeno que se repetiu em diversas localidades do Brasil: eleições de candidatos e candidatas sem vinculação aos partidos tradicionais, com biografia e na defesa de uma nova forma de política. Assim, nessa noite histórica , na Congregacão da Faculdade de Direito, três parlamentares, Vereadora Áurea Carolina, Vereador Mateus Simões de Almeida e Vereador Gabriel Azevedo, e Bruno Carazza Dos Santos (nosso blogueiro favorito que desvenda as histórias secretas por detrás da atividade parlamentar) saudaram a biografia da Vereadora Marielle (que como eles, teve a coragem de se tornar parlamentar) acompanhados pelo auditório lotado, com 150 pessoas de pé, num minuto de silêncio pelas execuções de Marielle, Anderson, Policiais, Crianças em nosso país.

A memória de quem ousou se candidatar e exercer um mandato construindo pautas e pontes com e para a sociedade foi enaltecida por 3 horas de debate, onde os lugares comuns que cercam a ojeriza ao Legislativo ( como se as instituições não fossem maiores do que as pessoas) foram desconstruídos sob o olhar atento de uma audiência diversificada e na contramão das bolhas pasteurizadas que infelizmente andam semeando a cultura do ódio e da intolerância.

O evento, que contou com duas rodadas de pergunta, uma realizada pela mediação e outra pela platéia foram respondidas com excelência, onde nossos convidados deram um show de como debater com diferentes e do por quê ocupar o espaço do Legislativo.

Portanto, agradecemos o modo, o timbre, o tom e sobretudo a letra com a qual enfrentaram a primeira rodada de perguntas, que sintetizam os apelos pejorativos relacionados ao Legislativo e que respondem pela ausência de renovação, da pouca valorização do nosso voto e pela atuação decepcionante e por vezes vergonhosas de boa parte dos parlamentares .

Algumas das perguntas realizadas foram:

1) Estar no Legislativo não é coisa para gente séria?

2) Quais são as maiores dificuldades para uma pessoas sem vínculos com a política tradicional se eleger?

3) Votar em pessoas e não em partidos é o melhor?

4) Parlamentar eleito pode ocupar cargo no Executivo?

Sem meias palavras, sem postura arrogante “minha fala é melhor do que a de vocês”, sem que fossem censurados ou sofressem qualquer violência discursiva, tive a epifania de moderar uma mesa onde as pessoas, de fato, debateram.

 

Para maiores informações sobre o evento, clique aqui!

Para acessar o blog "O E$pírito das Leis", de Bruno Carazza, clique aqui!

 

Marielle, PRESENTE!

Legislativo VIVO!

FUTURO para não repetir o passado!

 

Prof.ª Fabiana de Menezes Soares
Coordenadora do Observatório para Qualidade da Lei.